HISTORIA DO PAPEL DE PAREDE

As origens do papel de parede remontam na China, onde se especula que surgiu por volta de 200 antes de Cristo. Porém, ele era produzido sem ornamentos, apenas com papel de arroz, sendo totalmente branco apenas como revestimento para as paredes sem ser usado como elemento decorativo.'


Somente depois de um tempo é que ele começou a ser feito com pergaminho vegetal, sendo possível adicionar cores e desenhos, criando um campo muito maior para ser personalizado e efetivamente utilizado como decoração.






render - PAPEL DE PAREDE JVN - COLECAO RAIZES


O papel de parede era pintado à mão por artesãos (imagina o trabalho que dava!) e logo surgiram carimbos de madeira, entalhados com desenhos e padrões, o que facilitava um pouco o trabalho. Mas ainda assim, o papel de parede era um luxo exclusivo para palácios, casas de pessoas influentes e comerciantes ricos.


Foi através de comerciantes árabes que os papéis de parede chegaram à Europa por volta do século XVI e começaram a substituir telas e tapeçarias na decoração. No geral, eram apenas cópias dos papéis de parede chineses, tanto que ficaram conhecidos como chinoisserie.


Após um tempo, artesãos europeus começaram a investir na produção de desenhos próprios, tornando as ilustrações mais ricas e elaboradas, com personalidade própria. O papel de parede fazia muito sucesso na Europa, porém o ritmo de produção ainda era muito lento.


Somente em 1630 foi inaugurada a primeira fábrica de papel de parede que se tem notícia, a Papel-Toutisses, na França, empregando centenas de trabalhadores e acelerando a produção dos papéis.

Em 1675, o papel de parede começou a ser impresso com o mesmo método das gravuras: utilizando-se blocos de madeira, o que tornou os papéis de parede mais coloridos e mais baratos, popularizando esse elemento de decoração mais ainda.

Uma grande revolução para a indústria do papel de parede ocorreu em 1814, quando foi criada uma máquina de impressão que aperfeiçoava o processo de fabricação e trazia uma técnica inovadora: flocos de algodão eram colocados sobre a tinta ainda fresca, criando um papel de parede com relevo.


Aqui no Brasil, o papel de parede chegou com os imigrantes da Europa no final do século 19, mas até o ano 1930 a importação ainda era muito custosa, se popularizando apenas a partir da década de 60, onde se tornou bastante popular e muito utilizado na decoração das casas.






Papel de parede no Brasil

No Brasil, o papel de parede apareceu devido à forte imigração europeia no final do século XIX. Porém, até 1930, a importação desse produto era pequena, em função dos altos custos, sendo em seguida esquecido por anos. Em 1960, com a modernização da indústria brasileira e com a redução dos custos, o papel tornou-se um popular revestimento decorativo de paredes.



Tipos e Tamanhos



Papel de parede em uma residência

Em termos de métodos de criação, os tipos de papel de parede incluem papel de parede pintado, papel de parede de blockwood impresso à mão, papel de parede de estêncil impresso à mão, papel de parede impresso à máquina e papel de parede flocado.

Os revestimentos de parede modernos são diversos e o que é descrito como papel de parede pode não ser mais feito de papel. Dois dos tamanhos mais comuns do papel de parede feitos de fábrica são chamados de produtos laminados "americanos" e "europeus". Os laminados americanos têm 27 polegadas (69 cm) por 27 pés (8,2 m) de comprimento. Os produtos laminados europeus têm 52 polegadas (20 pol.) De largura por 10 metros (33 pés) de comprimento, aproximadamente 5,2 metro quadrados (56 pés quadrados). A maioria das bordas do papel de parede é vendida por comprimento e com uma ampla gama de larguras, portanto, a área de superfície não é aplicável, embora algumas possam exijam recortes.


O revestimento de parede mais comum para uso residencial e geralmente o mais econômico é o papel revestido de vinil pré-moldado, comumente chamado de "removível", que pode ser enganoso. O tecido de vinil de tecido é bastante comum e durável. Vinis mais leves são mais fáceis de manusear e pendurar. Os vinis com fundo de papel são geralmente mais caros, significativamente mais difíceis de pendurar e podem ser encontrados em larguras não aparadas mais largas.


Instalação

Assim como a pintura, o papel de parede requer uma preparação adequada da superfície antes da aplicação. Além disso, o papel de parede não é adequado para todas as áreas. Por exemplo, o papel de parede do banheiro pode se deteriorar rapidamente devido ao excesso de humidade (se não for selado com um verniz específico). A preparação adequada inclui o reparo de quaisquer defeitos na parede de gesso ou gesso e a remoção de material solto ou adesivos antigos.


Para um melhor acabamento com papéis mais finos e paredes de baixa qualidade, a parede pode ser alinhada (horizontalmente) com papel de revestimento primeiro. Medidas precisas da sala (comprimento, largura e altura) junto com o número de aberturas de janelas e portas são essenciais para solicitar papel de parede. Tiras de papel podem ser cortadas e instaladas de forma mais econômica, com o uso de rolos de papel alternados.



Depois que o papel de parede pré-colado é umedecido ou o papel de parede seco é revestido com pasta úmida, a superfície úmida é dobrada sobre si mesma e deixada por alguns minutos para ativar a cola, que é chamada de "papel de parede de reserva".[10]

Além da instalação convencional em paredes e tetos internos, os papéis de parede foram implantados como revestimentos decorativos para caixas, livros, estantes e persianas.[11]




Matéria - bucalo tecidos / WIKIPEDIA

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo